Polícia, Parte 1.

…e por causa de sua má fama, sempre permanecem como uma espécie de “algozes”da sociedade, sujeitos a serem temidos até o último talo.
Assim é a Polícia.Imagina a polícia do Estado do Rio de Janeiro, uma das mais corruptas deste país?Enfim, acho que nem sempre foi assim.Faz quase 200 anos que eles estão na ativa, creio que no passado as coisas eram mais brandas pro lado deles, pro lado da população.Eu não gosto deles, assim como a maior parte da população.A polícia carioca é muito violenta, demais, mesmo.
Agora vamos falar sobre o que eu passei há uns anos atrás:

Eu me lembro que passava muito o Natal e Ano novo na cada da minha avó em Araruama, na Região dos Lagos.Era um local muito agradável, sensação de roça perto da praia, muito bom.Em certo lugar dava para avistar a Lagoa de Araruama e suas salinas(o símbolo da Região dos Lagos).Ventava muito quando eu ia pra lá e quando eu tomava banho lá naquelas “praias”salgadas, meus olhos doíam por causa do excesso de salinidade, hehehhe.Eu gostava.
Um dia eu saí do Rio e fui na minha vó, estava de noite, quase meia-noite.O bairro dela, Engenho Grande, começava uma entrada da Rodovia Amaral Peixoto.Desci do ônibus que tinha tomado no Centro de Araruama e fui até a casa, embrenhada há quase 1 km da estrada.Tava de mochila, como sempre, e naquela época usava muito boné.Eu ainda tinha me lembrado das más coisas que aconteceram naquela casa.Lá moravam minha avó, o “filho”dela Ricardo e a mulher dele.Nas outras vezes que fui lá uma parte da minha grana(pelo menos 3 reais)foi furtada de minha mochila, e eu ficava puto, pq ao invés deles pedirem eles roubavam.A situação lá não estava boa, e eu também contribuía pra que acontecesse isso, porque eu quase não dava uma grana pra minha vó.Era um “boa-vida”lá dentro, chegava sem avisar, me instalava lá, comia e andava pelo mato relembrando as épocas de 90/91, quando meu pai levava a família toda pra passar as férias lá.
Então aquela noite eu fui, na subida da ladeira de barro até a casa dela estava escuro demais.E um cachorro magrelo preto tomava conta, permanecia na varanda.Não tinha como entrar em casa sem passar pela varanda.E ele vivia solto.Eu já não sou mordido por cães há mais de 10 anos.Ainda tinha que bater na porta, chamaria atenção do cachorro e ele me morderia.Ou não.Eu decidi esperar o Ricardo, porque da última vez, ele chegou tarde, então ele me ajudaria a entrar sem dificuldades.Ao invés de esperar lá perto, voltei pra beira da estrada.Do outro lado morava uma tia minha distante, mas ela tinha me dito que eu não poderia dormir mais lá, em decorrência das minhas malcriações passadas contra ela.Fiquei perto na estrada esperando…andando pra lá e pra cá.
Daí um carro de polícia(aqueles grandões S10)parou perto de mim, rapidamente.
“mão na cabeça, porra!”- disse um dos “polícias”, visivelmente puto, culpa minha não era.Coloquei.Eu fico muito nervoso nessas horas, apesar de não dever nada a ninguém.Desceram uns 4 deles, cada um maior que o outro.Eles me disseram o porquê de eu estar ali.Eu, que gaguejo, demorei pra caralho, ainda mais nervoso.Eu disse que tava esperando o meu tio Ricardo.Eles não acreditaram, mas não me meteram a mão na cara, gritaram pra caramba falando o que eu realmente estava esperando ali.Disse a mesma coisa.Pegaram o fuzil(pesadão)e apontaram pra minha testa.Encostou.Perguntaram de novo.Eu disse a mesma coisa.Eles perceberam que eu tava falando a verdade.O meu medo de morrer nem era tão grande.Eu disse que não tava esperando traficantes nem nada(a nova praga da região), supliquei pra que não me matassem.E parece que quando eu suplico, eu estou mentindo ou fingindo.Não me acho convincente, eu não lacrimejo, minha voz não colabora, nem nada.Parece realmente que é mentira.Disse uma porrada de vezes que tava esperando meu tio, mas então resolvi voltar pra casa da minha vó.Me jogaram no carro e levei eles até a casa dela.
Como viram a subida escura, ficaram escaldados, tensos.Cada um saiu em posição de tiro.Um deles me pegou pela camisa, temendo que eu fugisse e que fosse uma esboscada de traficantes.Imagina, até lá na Região dos Lagos tem tráfico, mas não tão grande quanto os daqui.Uma conhecida minha veio e falou pro polícia que eu era “doente mental”.Eu disse que não, mas só depois percebi que ela queria aliviar minha barra.O policial levantou meu rosto, viu os buracos do meu nariz(pra ver se tinha cocaína entocado ou restos)e me liberou.Subi devagar, eles foram embora.Tive sorte.Foi Deus.
Me lembrei da porra do cachorro preto que guardava a varanda, passei por trás da árvore pra ele não me ver.Subi a varanda, abri a porta e chamei minha vó.O pessoal todo, inclusive o filho da puta do Ricardo tavam lá o tempo todo.O cachorro ficou me olhando lá embaixo, de rabo de olho.Hahhahaha.
E como última palavra, ouvi da mulher do Ricardo:
– Não sai entrando assim, não, tá bom?

É mole?

Anúncios

6 comentários sobre “Polícia, Parte 1.

  1. Penny disse:

    eu começo a rir descontroladamente em situações tensas, e isso não é nada, NADA legal. ainda bem que policiais, bandidos e afins não costumam se meter com mulheres.

  2. Anônimo disse:

    q situação sei q teria medo, me apavoroa toaeh provavel q eu entre em panico e tenha uma reação absurda ou fike quieta não sei nunca passei por isso … omais proximo foi qnd estava no centro o povo começou a correr com uns caras fazendo quebra-quebra na hora perdi a visão

  3. Thabi disse:

    esse anonimo sou eu T.Tbem continuando … os policiais daki tem um sério problema com as pessoas q trabalham, sempre pedem para parar os carros e logo acham algum defeito para levar propina

  4. Luiza - Hana disse:

    Cara, nem tive coragem de ler tudo, mas juro, rejuro e trejuro que leio depois… até salvei seu blog nos meus favoritos!Como não li, não tenho muita coisa pra dizer… Li um outro post(Consciência) e achei fodaço.Vc realmente escreve coisas bem reais.Vou passar mais por aqui 😛Beijo :*

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s