A minha tia (irmã de meu pai) chamada Emília tinha conseguido entrar em contato comigo, depois da morte do meu pai.Como eu previa, a minha outra tia (irmã dela e do meu pai) chamada Eliane sumiu.Até hoje, eu não sei onde ela mora.Daí, ela resolveu que eu ficasse na casa dela, já estava na segunda metade do ano.Eu topei, e tudo mais, e ela vivia me incitando para que eu saísse daquele abrigo e que eu morasse com ela.

– …tem o Tiaguinho, o Cleilton…

Estes eram os meus primos.O Cleilton era mais velho que ele, e ainda tinha a minha outra prima chamada Daniele, a mais velha (e com uma personalidade bem parecida com a da minha tia).A minha tia era uma pessoa explosiva, que fala o que pensa e que se bobear, discute com você ganhando no grito…mas ela era inteligente (sinceramente, a maioria do pessoal da minha família não era muito bom nesse sentido).Então, eu acabei indo visitar.

Tinha ido antes, com a minha mãe.Minha tia morava na favela da Palmeirinha, em Honório Gurgel, então dominada pela organização criminosa Comando Vermelho, mas a favela era bem pacífica, se comparando com Cidade de Deus, Rocinha e outras demais.Morador de “comunidade” costuma ser passivo até o talo, o bom é que a minha tia não era assim.Tinha um espírito bem mais batalhador que a maioria do pessoal.
Antigamente ela morava com a família em um apartamento no Méier (bairro da Zona Norte do Rio), mas a situação financeira começou a decair e inevitavelmente tiveram que se mudar.Eu sempre achei a idéia de viver em apartamento meio tola, pior em condomínio.O problema do apartamento é que fica difícil de você se comunicar com outra pessoa ao lado (só se for pra discutir, hehehe).Quanto ao condomínio, a pessoa prefere viver num local que ela acha “distante do mundo ruim”, como se fosse uma fortaleza, ou algo parecido.E dá mais esta impressão nestes mega-condomínios que estão sendo criados no bairro da Barra da Tijuca (classe média-alta).O próprio bairro já não tem esquinas.Eu NUNCA conseguiria viver num local como aquele, em que todo mundo vive enclausurado…

Daí, eu revi meus primos (a última vez que tinha visto eles foi na casa da minha avó, em Araruama, 1990/91), minha madrasta Elizabeth apareceu por lá (junto com meu irmão de criação Bruno e a minhas irmãs Daiane e Bianca), e eu comecei a frequentar a casa por 2, 3 vezes.

Minha situação no CEMASI Ayrton Senna não estava boa (tinha evadido e voltado), estava brigando com alguns internos, pedido educadora de 31 anos em namoro e tomado um “não” (claaro), me apaixonado por outra mais velha (embora ela tenha tido um namorado – que era motorista – e eu não ia com a cara dele, justamente por ele ter me mandado “à merda”, um dia) e rejeitando uma menina “feia” que poderia ter sido minha namorada.
Eu tinha gostado de uma das duas irmãs que vieram do Espírito Santo, a mais nova.Ficamos naquele chove não molha por um bom tempo, ela sabia que eu gostava dela, mas ninguém tomava a porra da iniciativa.O outro moleque que implicava comigo dizia que eu era “papa-anjo”, porque ela tinha 10 anos e eu tinha 13.O caso ficou mal-resolvido quando ela foi embora.

No meio do ano, eu tive que ir morar com a minha avó em Araruama.

Era só o começo da merda.

Naquele tempo, a música que fazia mais sucesso era “Garota Nacional”, do Skank.Eu achava que indo para a casa da minha avó, a vida seria mais fácil (gostava do ambiente roçeiro de Araruama), e ainda tinha a TV Lagos (subsidiária da Rede Globo na Região dos Lagos) que eu adorava, também.

Daí, eu saí do abrigo e fui com a minha tia até Araruama, na casa da minha vó.Boa recepção e tal (bem diferente de 1990, onde minha tia estava passando mal e vomitando logo na chegada).Minha tia foi embora.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s