Quando a pessoa é solitária, mal faz contato humano e fica em uma situação ruim com as pessoas a ponto de falar que elas são isso e aquilo (quase sempre descambando para a generalização), nem é necessário dizer que ela precisa muito de alguém. Aliás, precisa mais dos outros do que algumas pessoas precisam dos outros. Em um tempo onde as outras pessoas usam as outras sem pestanejar, esta pessoa solitária seria como um tesouro em um imenso mar. E essa pessoa solitária não é valorizada, ela tem o dom de atrair pessoas que não a merecem, o que praticamente são a maioria. E ela arruma uma amiga e confidente, porém, ela mora em outro estado. Após muita conversa pelo MSN, pretendem se encontrar, mas adiam. Quando se encontram, a vida da pessoa que saiu de outro estado para vê-la se torna instantaneamente um paraíso, próximo a outra pessoa, extremamente carinhosa. E é um carinho arrebatador, capaz de desmanchar a pessoa solitária que estava completamente desacostumada a carinhos, mãos dadas e abraços. Anteriormente, em suas antigas amizades, estas foram desfeitas a ponto de nem começar, justamente por suas recusas a beijinhos e abraços em cumprimentos. Ela tinha amadurecido, ainda mais que precisava não fazer feio perante a amiga. Precisava agir naturalmente, a pessoa solitária ADORAVA esta amiga acima de qualquer outra amiga que teve na vida, a ponto de declarar que estava realmente apaixonada por esta. Era um amor de amigo ou de namorado? Abraçar uma pessoa é tão bom, tão reconfortante, tão quentinho…o amor que você dá e recebe é uma das coisas mais gratificantes existentes neste mundo. Qualquer tipo de amor. A pessoa solitária tinha muito amor pra dar, mas se tornou uma pessoa passiva perante à dedicação de sua amiga carinhosa, gentil e feliz. Era para se achar pequena perante essa amiga? Não, estava apenas mal-acostumada com ela. Ela te fez feliz, seu interesse por ela aumentou uns 100%, finalmente, você havia encontrado uma pessoa “digna” de você. E essa menina limpa o chão com as outras (poucas) que passaram em sua vida.

Você dormiu na rua por ela.
Você pulou de cidade em cidade por ela.
Você passou frio por ela.
Você levaria um tiro e uma surra por ela.

Mas claro, você não poderia se jogar de cabeça nisso. Sabe que ela tem alguém. Você sempre odiou os namorados de suas amigas. Chatos, só falavam merda e piadas sem-graça. Você se acha melhor que ele? Ou você acha que ele não merece ela mais do que você? Em quê você é melhor que ele? Só o fato de você morar em outro estado, seria complicado para marcar encontros…mensais, bimestrais…
“Volto em agosto”, a pessoa solitária disse. “Por você, eu sempre virei pra cá”.

Mas, vá com calma.

Você ficou tão em paz e extasiada com o carinho arrebatador que poderia estar se deixando levar por isso, como uma criança que se apaixona pela primeira vez. Não seria burro o bastante de se levar pela emoção. E você não é burro o bastante para isso. Não se deslumbre, tanto.

Em agosto, você volta para a pessoa que ama.

E ontem, essa pessoa solitária ficou depressiva e quase chorou, como um emo.
Huhehehehe.
Anúncios

2 comentários sobre “

  1. Celle... disse:

    Primeiramente… Parabéns!! vc escreve muito bem.E outra coisa…nada q um verdadeiro amor ( não importa amigo ou namoro) para balançar um coração de pedra…Bem…é isso!! bem vindo ao mundo.. vc vive e tem um coração!!Um grande abraço…de uma pequena pessoa!!

  2. Yu-mon disse:

    Desmond, achei bom o texto, mas para mim ficou meio confusono início a narração parecia uma relação de uma garota com outra no fimparecia que era um garoto….essa era a intenção o_O?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s