Suor, Gordura e Livros.

Alguém mandou o “Rock Nacional” para a puta que o pariu. Aliás, é onde ele nunca deveria ter saído.
A partir do momento que gravadoras, produtores e o caralho à quatro investem sempre nos mesmos artistas, é sinal de que deveriam pedir pra sair. Mas, o maior trunfo deles, a carta na manga, é que sempre terá público. E claro que o público em si reflete-se em adolescentes retardados, que postos sobre a parede sempre indagam aquela máxima: “quem é você para me julgar?”. Eu? Eu sou o David, prazer. Embora não te conheça, me acho no direito de te julgar, simplesmente pois não sou igual a você. Confesso que já fui, mas é passado, entendeu? já fui. Eu creio que no mundo de hoje, é necessário ter esperteza para viver. Ou apenas sorte, como ser bem-nascido, por exemplo. Hoje me revolto com moleques com a boca cheia de ovomaltino e leite com pêra, revoltando-se com pais e outros parentes, usando drogas, fazendo arruaças…me lembram a minha irmã mais nova. Mimadice demais dá nisso. Mas, passemos para outro assunto.

Hoje em dia não dá pra acreditar nas meninas que dizem ser diferentes das fúteis. Elas agem como fúteis mesmo inconscientemente. Imagine uma menina que te adciona no msn e fica um tempão sem falar com vc pelo simples fato de ter se “esquecido”. As pessoas têm a audácia de mentir para si mesmas, atropelam-se em suas próprias regras. Não dar um “bom-dia” é falta de educação, mas prestar atenção na conversa alheia não é? Estou numa situação que qualquer um poderia dizer que seria mais inteligente juntar-se aos derrotados de espírito que se opor a eles. Não, não tenho raivinha da sociedade. O problema é que a sociedade em si está coberta dos mais diversos tipos de derrotados de espírito. Aquele tipo que só pensa em si mesmo, aquele tipo que é igual a trocentas pessoas. Às vezes, algumas generalizações são bem cabíveis, tanto que para quebrá-las, é dose pra leão, tão raro quando pinto de minhoca. Jovens, por exemplo: se você precisasse duma grana para passagem, que custa míseros R$ 2,00 e você vai à igreja pedir e lá só está um jovem. Pode-se dizer que a maioria deles vive sem grana ou reserva aquele cascalho para gastar em partidinhas de Counter Strike na lan house, cheio daqueles moleques com bermuda florida, camisa de cores claras (rosa ou azul bebê) e boné falsificado da Von Dutch. E magros, ah, sim. Magrelos. Daria para extrair algo de decente naquelas cabeças (a de cima, filho da puta)? Não. A solidariedade? Só se um puxar o coro. Você diz a menina que ela não lhe dá a devida atenção e avisa que irá deletá-la do MSN. “tá”, ela disse. Mas, é aquele “tá” desleixado, como se realmente não se importasse com sua existência.

Feriados podem ser bons para a maioria das pessoas, mas para algumas é uma tortura. Eu, por exemplo. Fiquei tão desnorteado que andei como mendigo nas ruas da Zona Oeste, mais ou menos…Minhas pernas doíam, eu estava cansado demais. Amanhã, finalmente a vida volta ao normal e trabalharei feliz. Estou com saudade da horta, da comida caseira e das brincadeiras com as crianças.

Hoje, eu finalmente acreditei que sem dinheiro, não somos nada.

Lily Cole, estou esperando seu Email.

Anúncios

3 comentários sobre “Suor, Gordura e Livros.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s