Requentando repolhos (Reheated Cabbage)

Reheated Cabbage é uma coletânea de contos de Irvine Welsh (“Trainspotting”) em 1994 e 2000, o período mais fértil do escritor escocês. “O mais fértil” em matéria de drogas, loucuras e putaria, pois desde “Crime” (publicado aqui pela Rocco) ele acalmou, passou a ser mais sério. Talvez percebeu que estava se tornando mais que repetitivo, uma PIADA, e direcionada apenas àquele fandom jovem, que fala (e pensa) besteira. A mesma galerinha que ovaciona Kerouac e Bukowski, não que este último seja ruim, também gosto muito dele. Aqui o Welsh fez bem o trabalho de casa em que é habitual, no seu mundo situado nas COHABs (conjuntos habitacionais, lá na Escócia têm outro nome, só botei a coisa num âmbito abrasileirado, sacam?) de Edimburgo, aquela população desajustada de classe média-baixa que, sob a visão do Welsh, já foi transposta pro telão anteriormente (“The Acid House“, baseado na sua primeira coletânea de contos, a que devia ser publicada primeiro que essa aí). Essa aqui é mais suave, mas não menos bacana. O único problema é que o Welsh ficou há tanto tempo na zona de conforto – como o Chuck Palahniuk na sua, o Charles Bukowski e etc. – que um impaciente acaba cansando do estilo do cara.

Aliás, todos os três autores investem em estatologia, linguagem chula e humor ferino. Ele deu uma inovada em “Crime”, mas não como estamos falando desse romance, continuemos nesse livro aqui.

Falta em cima da linha (A fault on the line)
Torcedor do Hibernian (clube de coração do Welsh) está prestes a assistir a um jogo do time quando sua mulher perde as pernas num acidente de trem. Ele não tá nem aí pra isso. Gostei do conto mas nem lembro dessa porra.

Culpa católica – Você sabe que adora isso (Catholic Guilt – You know you love it)
Anti-gay morre e é condenado por São Pedro a transar com seus amigos. Também não lembro, paciência.

O Namorado de Elspeth (Elspeth’s Boyfriend)
Frank Begbie (o psicopata de “Trainspotting, sua seqüência “Porno” e seu prequel “Skagboys”, mais novo livro do Welsh) não gosta do novo namorado de sua irmã. A coisa complicou quando esse sujeito passa o Natal com a família Begbie, daí já dá pra ver a merda. Gostei da história, muito boa.

Beijando e fazendo as pazes (Kissing and making up)
Um homem sem nome faz uma reflexão sobre seu último relacionamento enquanto está numa boate de strippers. Fala bosta e acaba se fodendo. Também bom, vou até ler de novo.

O incidente de Rosewell (The Rosewell Incident)
Jovens alienígenas do planeta Cyrastor sequestram um adolescente terrestre e aprendem a falar e agir como escoceses. Eles pretendem dominar a Terra fazendo um concerto mental, para o desgosto de um alienígena adulto. Não gostei, é um conto mais extenso, um dos piores do careca.

The State of the Party
Dois amigos, Crooky e Calum, tomam ácido num bar antes de correr pro seu velho amigo Boaby, chapado de heroína. Depois que chegam numa festa Boaby morre de overdose e ambos são expulsos do apartamento, além de serem agredidos.

Disputada (Victor Spoils)
Os amigos Gavin e Victor competem pela companhia de Sarah, que está sendo atendida pelo dentista. Gavin acabou de transar com ela. Victor é o ex-namorado. Bom conto.

Eu sou Miami (I am Miami)
Essa novela mostra Albert Black, professor de viés vitoriano e conservador pra caramba, em confronto com seus ex-alunos Carl Ewart e Terry “Juice Terry” Lawson, ambos do romance “Glue” (ainda inédito no Brasil).

Como deu pra sacar, esse estilo do Welsh é cansativo. O cara passou uns 20 anos compondo os mesmos caras e as mesmas coisas de sempre, mas ainda tem uns rompantes de criatividade. “Crime” fugiu deste aspecto, mas eu bem que gosto de acompanhá-lo. Por outro lado, aqui no Brasil o cara continua praticamente uma incógnita, não tem muitos fãs e a maioria dos seus contos e romances continuam inéditos, do mais que polêmico “Filth” (que ganhou uma adaptação cinematográfica, com James McAvoy no papel principal) até o subestimado “Marabou Stork Nightmares“.

Enquanto isso a Intrínseca (que não é a editora do Welsh no Brasil, mas foda-se, só tô exemplificando a bobajada que ela faz) publica estes romances água-com-açúcar que são sucesso lá fora, e a vida se segue. Assim fica difícil pra quem aprecia um bom livro, hein?

CAPA ORIGINALLL…

Anúncios

3 comentários sobre “Requentando repolhos (Reheated Cabbage)

  1. David disse:

    Ah, sim.

    Vale a pena, mas é uma coletânea de contos que nem considero o melhor do estilo dele (“O Se você gostou da Escola, Vai Adorar Trabalhar”, também lançado no Brasil pela Rocco e já resenhado nesse blog, é bem melhor que esse) bem dispensável.

    Acho que a Rocco devia primeiro publicar os romances dele, todos os que faltam: Marabou, Filth, Glue e Skagboys pra depois publicar esse. Ou então, que publicasse os contos a partir do primeiro, “The Acid House”.

  2. Anônimo disse:

    Esse que você mencionou Se você Gosto da Escola… vi numa feira de livro aqui no Rio de Janeiro a um preço irrisório. Fiquei com pena de não ter comprado na época.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s