A Covardia Hebdoniana Ainda Corre

h_52499340

Um ano após os ataques no prédio do jornal semanal parisiense que vitimou 10 cartunistas e 2 policiais, Charlie Hebdo teve uma sobrevida em suas polêmicas, desta vez “comemorando” o aniversário com uma capa culpabilizando Deus pelo massacre. O mesmo Deus cuja religião forjou e moldou a sociedade ocidental, o mesmo Deus que formou a sociedade francesa, sociedade essa que, justamente movida pela passividade e “integralidade” cristã, aceitou os mesmíssimos algozes islâmicos do jornal no seu solo.

Deus deve ter sido o “assassino” porque deu-lhes seguridade o bastante em suas vidas para ter o desprendimento em fazer charges ofendendo outras religiões. Deu-lhes mimos, facilidades, porque quem sofre na vida pensaria duas vezes antes de fazer o que os mortos faziam. Tiveram uma vida tão boa que fizeram parte dum jornal de esquerda (partindo daquela premissa de que a Esquerda é atraente, é divertida, é “possível” socialmente), cagando pro que os outros pensavam; moleques, crianças-grandes que não encontraram uma boa surra ou uma repreensão, pensamentos compartilhados na mente de suas contrapartes brasileiras, cartunistas que não têm absolutamente nada mais a dizer, como Adão Iturrusgarai (conte quais tirinhas não possui piadas sem graça ou envolvendo pênis). Então, este deve ter sido o papel de Deus.

Não obstante, o massacre foi uma óbvia fatalidade. Por mais estúpidos que fossem, eles não mereciam morrer, mas também não mereciam a comoção mundial (e comoção de cristãos, inclusive) pelo simples fato de que o jornal pisoteou nas mesmas. Ou na verdade o Deus estampado na capa é Maomé travestido?

Porque não são os cristãos que chacinam muçulmanos todo ano. Você não encontra notícias de grupos organizados cristãos que decapitam, esquartejam, fuzilam, apedrejam muçulmanos; tampouco qualquer forma de extremismo… Ah, a menina do candomblé que foi ferida por um evangélico com uma pedrada? Certo, um caso isolado mas forte e expressivo o suficiente para suplantar as mortes dos cristãos? O bastante para uma revista de alcance nacional como a SuperInteressante tachar de Extremismo Evangélico?

capa-super-351

Engraçado que… não, não chega a ser engraçado o extremismo islâmico nunca ser pauta da revista pelo simples fato do Grupo Abril (o mesmo que edita a revista Veja), como o resto da chamada Grande Mídia, correr pelo esquerdismo: defesa do feminismo, movimento negro, gayzismo e etc.

Não há uma oposição expressiva destes canais ao extremismo ou até mesmo ao Islamismo em geral, por mais que há um ou outro jornalista de direita neles, e mesmo dizendo verdades ele corre o risco de receber “fogo-amigo” , quantas vezes for necessário. O Cristianismo é a religião do perdão, por isso sempre criticarão abertamente, cientes de que não receberão quaisquer represálias, e do tipo “perco a amizade mas não perco a piada” o Charlie Hebdo continua e continuará vomitando suas merdas contra os indefesos. Ruim para a França, jogando na cara alheia que o país está se afogando em merda cagada pelos próprios, ruim para o mundo, cuja boa parte é impelida a engolir sentimentalismo da morte de quem está cagando pra qualquer coisa.

Mau uso da liberdade.

 

Anúncios

55 comentários sobre “A Covardia Hebdoniana Ainda Corre

  1. Anônimo disse:

    O mesmo Deus cuja religião forjou e moldou a sociedade ocidental, o mesmo Deus que formou a sociedade francesa, sociedade essa que, justamente movida pela passividade e “integralidade” cristã, aceitou os mesmíssimos algozes islâmicos do jornal no seu solo.

    – O discurso aqui ficou passional e devocional. Podemos dizer que alguns homens cristãos ajudaram a moldar a sociedade, porém não significa que Deus esteja envolvido. Foi mais uma criação mesmo de seus seguidores. Se fosse feito por um homem Ateu teria o mesmo valor a meu ver.

    Deus deve ter sido o “assassino” porque deu-lhes seguridade o bastante em suas vidas para ter o desprendimento em fazer charges ofendendo outras religiões. Deu-lhes mimos, facilidades, porque quem sofre na vida pensaria duas vezes antes de fazer o que os mortos faziam. Tiveram uma vida tão boa que fizeram parte dum jornal de esquerda (partindo daquela premissa de que a Esquerda é atraente, é divertida, é “possível” socialmente), cagando pro que os outros pensavam; moleques, crianças-grandes que não encontraram uma boa surra ou uma repreensão, pensamentos compartilhados na mente de suas contrapartes brasileiras, cartunistas que não têm absolutamente nada mais a dizer, como Adão Iturrusgarai (conte quais tirinhas não possui piadas sem graça ou envolvendo pênis). Então, este deve ter sido o papel de Deus.

    – O mesmo Deus que permite estupros, roubos e até a corrupção em nosso pais. Esse lance de Deus bom pregado por aí é totalmente contraditório. Me lembro um professor que diz que nem uma folha cai sem que Deus permita, então Deus deveria ver muito bem o que ele permite ou não acontecer.

    Não obstante, o massacre foi uma óbvia fatalidade. Por mais estúpidos que fossem, eles não mereciam morrer, mas também não mereciam a comoção mundial (e comoção de cristãos, inclusive) pelo simples fato de que o jornal pisoteou nas mesmas. Ou na verdade o Deus estampado na capa é Maomé travestido?

    – Vejo como uma crítica a pessoas que cometem atrocidades em nome de Deus, o que mais acontece. Lembre-nos que ele manda e desmanda no universo certo?

    Porque não são os cristãos que chacinam muçulmanos todo ano. Você não encontra notícias de grupos organizados cristãos que decapitam, esquartejam, fuzilam, apedrejam muçulmanos; tampouco qualquer forma de extremismo… Ah, a menina do candomblé que foi ferida por um evangélico com uma pedrada? Certo, um caso isolado mas forte e expressivo o suficiente para suplantar as mortes dos cristãos? O bastante para uma revista de alcance nacional como a SuperInteressante tachar de Extremismo Evangélico?

    – Tenho histórias interessantes:

    Já conheci dois professores na Faetec evangélicos extremistas a ponto de quererem em suas aulas pregarem sua religião e soltar suas falácias em matérias cujo eles lecionavam não tinha a ver com o tema de uma forma que atrapalhava a aula deles.

    Já trabalhei numa indústria de Tecidos do Rio de Janeiro cujo a chefe do setor era evangélica e colocava a rádio alta o tempo inteiro lá dentro a ponto de atrapalhar meu serviço que exigia raciocínio até que fui demitido porque eu reclamei quanto a altura do rádio e quanto aquela programação me enchia o saco.

    Existem sim, manifestações de extremismo evangélico. Tenho uma bancada que se intitula bancada evangélica. Por que não temos uma bancada espírita, uma bancada umbandista, uma bancada católica? Tivemos escândalos envolvendo políticos evangélicos. Tivemos pastores envolvidos com abuso sexual. Estamos numa sociedade onde a crença faz com que a pessoa ganhe um bônus de caráter. Se você fala de Deus ou tem um trabalho envolvendo Deus você se torna um santo automaticamente, isso não é muito certo a meu ver.

  2. Anônimo disse:

    Não há uma oposição expressiva destes canais ao extremismo ou até mesmo ao Islamismo em geral, por mais que há um ou outro jornalista de direita neles, e mesmo dizendo verdades ele corre o risco de receber “fogo-amigo” , quantas vezes for necessário. O Cristianismo é a religião do perdão, por isso sempre criticarão abertamente, cientes de que não receberão quaisquer represálias, e do tipo “perco a amizade mas não perco a piada” o Charlie Hebdo continua e continuará vomitando suas merdas contra os indefesos. Ruim para a França, jogando na cara alheia que o país está se afogando em merda cagada pelos próprios, ruim para o mundo, cuja boa parte é impelida a engolir sentimentalismo da morte de quem está cagando pra qualquer coisa.

    – Religião do perdão? Precisa conhecer mais o Cristianismo. As pessoas precisam ser mais humanas não importa que sejam inspiradas por histórias Bíblias ou histórias em quadrinhos e também precisam aprender que nem sempre as pessoas concordam sempre com o que a gente pensa. E assim como é Sagrado Deus é pra você, outras entidades também são para outras pessoas e estas também são alvo de piadas e quem só fica com esse discurso sãos os Cristãos. Ainda teve Cristão que se sentiu feliz com a morte do Charlie, como se fosse uma punição de Deus pela morte dele por conta da charge de Maomé feita por grupos Islâmicos que odeiam o Cristianismo com todas as forças. Isso é perdão.

    Vocês elogiando as próprias víboras que os matam, perdão não vai deter a ação desses caras contra Cristãos, Judeus, Ateus e qualquer outra dissidência religiosa quando estes se instalarem no poder. Meu medo é de dias piores para qualquer um de qualquer crença e qualquer religião ser obrigado a seguir uma crença a força.

    • Anonimo. disse:

      Deus permite a maldade no mundo pelo egoísmo e soberba do ser humano, o mundo não é nem Dele, Ele já disse que o mundo jaz no maligno. Porém, Deus não fica de braços cruzados, Ele ajuda. Então não dá pra de forma alguma creditar as maldades do mundo a Ele. O homem tem o livre arbítrio pra fazer as merdas que quiser mas vai ter de prestar contas mais para a frente.

      – Mas tudo está nos planos de Deus certo?

      Salmos 139:16 Os teus olhos me viram a substância ainda informe, e no teu livro foram escritos todos os meus dias, cada um deles escrito e determinado, quando nem um deles havia ainda.

      Ou seja, a bíblia diz que deus já determinou o dia e a morte de todas as pessoas que já nasceram e que ainda vão nascer.

      Jesus mesmo confirma isso:

      Mateus 10:29 Não se vendem dois pardais por um asse? E nenhum deles cairá em terra sem o consentimento de vosso Pai.

      Ou seja, Deus planeja a morte de todos os seres vivos que já existiram! Ele continua:

      Mateus 10:30 E, quanto a vós outros, até os cabelos todos da cabeça estão contados

      Reparem bem, todas as pessoas que morreram nas Tsunamis, nos terremotos, em 11 de setembro, em guerras, de fome, todas elas morreram para cumprir o plano pré-estabelecido por deus!

      Então Deus permite isso é ciente e não faz nada, até mesmo acontecimentos para seus seguidores.

      Existem cristãos e cristãos, mas os extremistas MESMO, são poucos, fora que “extremismo” é algo maior que deixar a rádio tocar alto numa emissora evangélica.

      Extremismo e alienação podem evoluir como no caso abaixo:

      http://odia.ig.com.br/noticia/rio-de-janeiro/2015-06-16/intolerancia-religiosa-leva-menina-a-ser-apedrejada-na-cabeca.html

      E qual o problema de ter uma bancada evangélica? Quanto aos escândalos de corrupção e abuso sexual (coisa que é mais associada aos padres católicos, dificilmente vi algum escândalo de abuso sexual partindo de evangélicos, não há celibato no Protestantismo), dá pra creditar a maior fatia evangélica a isto? Eu acho que não.

      E desde quando o protestantismo é garantia de ética? Acho engraçado essa mania de desviar sempre indo pros católicos. Existem sim crimes cometidos por pastores. Olha só:

      http://www.ac24horas.com/2013/01/30/pastor-abusava-de-fieis-dizendo-que-tinha-penis-abencoado/

      Esse é só um exemplo, teve o caso do Marcos Pereira que foi inocentado duvidosamente e já ouvi de conhecidos que ele tem relacionamentos com traficantes homens de ética invejável não é mesmo.

      “Se você fala de Deus ou tem um trabalho envolvendo Deus você se torna um santo automaticamente”
      Não mesmo, tanto que há braços do Protestantismo que são desacreditados por boa parte das pessoas, vide as igrejas adaptas da Teoria da Prosperidade. Não dá pra pôr no mesmo balaio um pastor da Universal e um pastor Presbiteriano, por exemplo.

      Sabe porque é desacreditado: porque os cristãos de bem não fazem nada contra isto. Por isto que está como está e mais pessoas vão aos poucos perdendo a confiança. E como o Pirulla disse uma vez do tempo que ele ainda tinha sanidade das suas palavras: se existem essas irregularidades ocorrendo em nome de Deus a culpa é dos religiosos que ficam calados e não fazem nada. Ninguém se manifesta e fica na sua zona de conforto.

  3. Anonimo. disse:

    Bem, eu não sou cristão, mas reconheço o papel que a religião teve na formação e manutenção da sociedade ocidental… E existem cristãos e cristãos, mas pra mim a maioria não se sentiu feliz pela morte dos chargistas, mas lamentou.

    Teve um papel, mas não fundamental. Até porque a sociedade mudou e muda independente da religião. Hoje não se apedreja mais pessoas como em Deuteronômio. A sociedade mudou a moral também. Não adianta usar a religião como bandeira moral: ela não vai enfiar a moral em ninguém você simplesmente tem ou não tem.

    Um abraço.

  4. Anonimo. disse:

    Deus permite a maldade no mundo pelo egoísmo e soberba do ser humano, o mundo não é nem Dele, Ele já disse que o mundo jaz no maligno. Porém, Deus não fica de braços cruzados, Ele ajuda. Então não dá pra de forma alguma creditar as maldades do mundo a Ele. O homem tem o livre arbítrio pra fazer as merdas que quiser mas vai ter de prestar contas mais para a frente.

    Mas Deus permite essas coisas acontecer até com seus seguidores nê?

    Salmos 139:16 Os teus olhos me viram a substância ainda informe, e no teu livro foram escritos todos os meus dias, cada um deles escrito e determinado, quando nem um deles havia ainda.

    Ou seja, a bíblia diz que deus já determinou o dia e a morte de todas as pessoas que já nasceram e que ainda vão nascer.

    Jesus mesmo confirma isso:

    Mateus 10:29 Não se vendem dois pardais por um asse? E nenhum deles cairá em terra sem o consentimento de vosso Pai.

    Ou seja, Deus planeja a morte de todos os seres vivos que já existiram! Ele continua:

    Mateus 10:30 E, quanto a vós outros, até os cabelos todos da cabeça estão contados

    Reparem bem, todas as pessoas que morreram nas Tsunamis, nos terremotos, em 11 de setembro, em guerras, de fome, todas elas morreram para cumprir o plano pré-estabelecido por deus!

    Não vem me dizer que é coisa de livre arbítrio já que Deus mesmo confirma que tudo está de acordo com seus planos.

    Existem cristãos e cristãos, mas os extremistas MESMO, são poucos, fora que “extremismo” é algo maior que deixar a rádio tocar alto numa emissora evangélica.

    – Mas aí e que está: começa impondo sua religião que a coisa se inicia. Isso gera comportamentos tão brutais quanto os islâmicos como no caso abaixo:

    http://odia.ig.com.br/noticia/rio-de-janeiro/2015-06-16/intolerancia-religiosa-leva-menina-a-ser-apedrejada-na-cabeca.html

    E qual o problema de ter uma bancada evangélica? Quanto aos escândalos de corrupção e abuso sexual (coisa que é mais associada aos padres católicos, dificilmente vi algum escândalo de abuso sexual partindo de evangélicos, não há celibato no Protestantismo), dá pra creditar a maior fatia evangélica a isto? Eu acho que não.

    -Não é? Então você tá indo pelo caminho de que ser protestante é um status quo de honestidade absoluta. Essa mania feia de protestante de sempre citar os católicos. Quando eles mesmo tem rabo preso e tem absurdos tão ou iguais quanto:

    -http://noticias.gospelmais.com.br/bancada-evangelica-processos-justica-32704.html

    “Se você fala de Deus ou tem um trabalho envolvendo Deus você se torna um santo automaticamente”
    Não mesmo, tanto que há braços do Protestantismo que são desacreditados por boa parte das pessoas, vide as igrejas adaptas da Teoria da Prosperidade. Não dá pra pôr no mesmo balaio um pastor da Universal e um pastor Presbiteriano, por exemplo.

    – Mas estes religiosos de bem fazem alguma coisa? Pouco ou praticamente nada. Como dizia o Pirulla nos seus Vlogs mais antigos quanto ele tinha a cabeça no lugar. Um dos problemas é que os religioso de bem não fazem nada pra combater as irregularidades em denominações que usam o nome de seu Deus por exemplo. No caso da menina poucos se manifestaram na época nota de repúdio. Agora um chargista causa toda a fúria que eu vi. Aí você não quer que as pessoas fiquem desacreditadas.

  5. Anomino disse:

    Quanto a pedrada na menina, ocorrências de “intolerância religiosa” envolvendo evangélicos são muito difíceis de ocorrer. A medida de comparação, veja os extensos casos de pedofilia na Igreja Católica… Apesar da pedrada a Super Interessante creditar um número ao “extremismo evangélico” é um puta exagero tendencioso, mas é como eu disse, revista do grupo Abril, o mesmo que produz a Veja e que faz uma versão brasileira do Huffington Post em que há feministas no corpo de jornalistas.

    – Mas alguns são preconceituosos sim, com as denominações que não sejam as dele. Nem falo da Superinteressante que fez um artigo sensacionalista, mas existe sim um extremismo morno, o lance da pedrada acontece. Abusos acontecem, mesmo que indiretamente. Só que de uma maneira mais contida porque até os cristãos se adequaram a pluralidade da sociedade, mas da mesma forma tem os que impõe sua crença como os esquerdopatas.

    Ninguém disse que protestantismo é garantia de ética pelo simples fato de haver corruptos evangélicos, também. PORÉM, não chegam a ser uma pequena fatia do bolo. Há “evangélicos” que entram nessa de fazer igreja única e exclusivamente para lucrar e abusar das pessoas – até aí, isso pode ocorrer em qualquer religião, mas eu não posso creditar a todo o Protestantismo o desvio de meia dúzia!

    -Mas aí que está: a meia dúzia é que causa o estigma ruim pela maioria que faz.

    O Marcos Pereira é outro que dizem ser safado. Eu conheço a igreja dele, encrustada num canto decadente da Baixada Fluminense (na cidade de São João de Meriti), fui até convidado a ir para lá mas não gostei dos métodos.

    – Tem provas contra ele e eu mesmo sei de várias histórias e podres, mas o Deu$ dele lhe deu recursos financeiros para bons advogados. Os filhotes de Edir Macedo se procriam com falhas da lei. Basta ver em qualquer canto da Baixada se procriam templos.

    Você pode escolher a doutrina que deseja abraçar, existem diversas denominações evangélicas: há as sérias (Batistas, Luteranos, Presbiterianos), há as que só visam a grana, até as leituras da Bíblia são pra justificar o direito do dízimo, oferta e mais os “sacrifícios” se não sei quantos reais (Universal, Mundial, Igreja da Graça) e as mais liberais, como a Bola de Neve Church e mais algumas. Eu simplesmente não posso desacreditar todo o Protestantismo por conta de uns desvios.

    – Mas por esses que se apropriam passam a desacreditar o todo, simples. O justo paga pelos que pecam. O que faz mais alarde: atitudes positivas ou atitudes negativas. E sem contar os fiéis que não questionam seus métodos.

  6. Anomino disse:

    Os seres vivos foram feitos pra morrer um dia, não entendo a surpresa. Temos um corpo perecível, estamos de passagem nesse mundo.

    – Existe uma diferença entre morte natural e morte por assassinato e por desastre natural.

    Eu já falei que até no Protestantismo existem falhas cometidas pelos humanos, justamente por sermos humanos, mas eu não posso culpabilizar todo o credo por alguns desviados.

    – De novo o que eu disse: esses alguns é que criam a má fama. Se não fizer nada pra deter isso e ficar na sua como vai tornar as coisas melhores?

    E eu não estou impondo nada, quem está impondo é o Islã, ou são os cristãos quem transformaram Estocolmo na capital mundial do estupro? São os cristãos quem fazem “corredor polonês de estupro” e que saem bolinando mulher por aí, hoje em dia? Você tem que direcionar sua revolta é ao Islã.

    – Claro que discordo com os métodos do Islã, cara. Mas dizer que os Cristão são coitadinhos, inocentes e puros não tenho como fazer infelizmente. As pessoas podem ser éticas e corretas, mas nenhuma religião vai enfiar nelas isso porque elas tem que se conscientizar em ser. Eu critico porque já sofri preconceitos diretos indiretos por ser espírita e por ter me declarado cético, mas não foi um cético que quis ser por Karl Marx foi por uma jornada em busca que eu mesmo decidi fazer. Hoje eu quero neutralidade quanto a esse assunto, e mesmo assim fui hostilizado e até perdi emprego indiretamente por conta disso, como disse anteriormente por conta de uma música alta e pregação no meu setor de trabalho.

    Os religiosos de bem mantém institutos de bem estar social, ajudam desde dar sopa pra mendigo a oportunidades de emprego e recuperação de usuários de drogas… Agora, vê alguma entidade atéia fazendo isso?

    – Posso citar exemplos de N Ateus que fazem o mesmo trabalho como Bill Gates fundador da Microsoft por exemplo. Novamente ligando bondade a religião. Sim, acho válido ajudar mas tem gente que ajuda sem o escopo das religiões em cima.

    Eu não acho que religiosos do bem fiquem de braços cruzados vendo seus colegas fazendo merda, até porque a Igreja católica andou expulsando padres pedófilos à rodo.

    – Bom só espero que os pentecostais tomem o mesmo juízo com os dissidentes desses, se bem que é bem difícil por causa do samba de crioulo doido que são essas denominações infelizmente. Pelo menos a ICAR é organizada.

  7. Anonimo disse:

    Quanto a pedrada na menina, ocorrências de “intolerância religiosa” envolvendo evangélicos são muito difíceis de ocorrer. A medida de comparação, veja os extensos casos de pedofilia na Igreja Católica… Apesar da pedrada a Super Interessante creditar um número ao “extremismo evangélico” é um puta exagero tendencioso, mas é como eu disse, revista do grupo Abril, o mesmo que produz a Veja e que faz uma versão brasileira do Huffington Post em que há feministas no corpo de jornalistas.

    – Mas eles existem, e podem se intensificar se existir uma maior influência de uma religião sobre um país o que pode ser tão perigoso quanto o Islã. Lembra da inquisição?

    Ninguém disse que protestantismo é garantia de ética pelo simples fato de haver corruptos evangélicos, também. PORÉM, não chegam a ser uma pequena fatia do bolo. Há “evangélicos” que entram nessa de fazer igreja única e exclusivamente para lucrar e abusar das pessoas – até aí, isso pode ocorrer em qualquer religião, mas eu não posso creditar a todo o Protestantismo o desvio de meia dúzia!

    – Mas essa meia dúzia que prejudica o todo, porque o todo não faz nada e acaba fazendo papel de conivente.

    O Marcos Pereira é outro que dizem ser safado. Eu conheço a igreja dele, encrustada num canto decadente da Baixada Fluminense (na cidade de São João de Meriti), fui até convidado a ir para lá mas não gostei dos métodos.
    E eu não dou crédito ou valia alguma ao que o, como o Nando disse, Dr. PIRROLA diz, pelo simples fato dele ser esquerdista e achar que todas as ameaças que impingem a ele vêm dos cristãos.

    – Nem concordo que toda a ameaça venha dos cristãos, mas deixar um credo religioso dominar não é por aí. Tem que haver respeito a todas as crenças.

    Você pode escolher a doutrina que deseja abraçar, existem diversas denominações evangélicas: há as sérias (Batistas, Luteranos, Presbiterianos), há as que só visam a grana, até as leituras da Bíblia são pra justificar o direito do dízimo, oferta e mais os “sacrifícios” se não sei quantos reais (Universal, Mundial, Igreja da Graça) e as mais liberais, como a Bola de Neve Church e mais algumas. Eu simplesmente não posso desacreditar todo o Protestantismo por conta de uns desvios.

    – É nesse desvio que a coisa perde a credibilidade, a seriedade. É nesse desvio que os que fazem trabalho sério que perdem a confiança. O justo paga pelo pecador.

  8. Anônimo disse:

    Sim, existe diferenças, mas nós não nascemos para a perfeição, para viver num mundo perfeito. Jesus disse que teríamos aflições no mundo, mas que era pra ter bom ânimo, porque ele venceu o mundo.

    – Então admite que Deus permite isso tudo e que Deus não é bondoso. Se ele permite esses acontecimentos randômicos.

    Quanto a má fama, disse num outro post: ela não manchou irreparavelmente a reputação dos evangélicos, porque eles não estão centrados numa só unidade, como os católicos (tá, existem algumas dissidências, como a Opus Dei), e a grande maioria são sérios.

    – Do jeito que todos se intitulam Evangélico hoje em dia? Que a palavra é prostituída nos dias de hoje? Você está se enganando. Aliás até Católico é evangélico, porque por ignorância as pessoas não sabem que Evangélico é seguidor do Evangelho (Bíblia). Não sabia que o livro dos Católicos eram diferente dos livros dos Evangélicos (Protestantes). No mais essa tua energia de dizer que o que acontece de ruim envolvendo Líderes Evangélicos é irrelevante você pode aplicar aos Católicos também, até porque não tem a mídia em cima massivamente nesses casos, porém com a expressividade que as seitas estão tomando tem aparecido mais casos envolvendo o Protestantismo. O tempo está mostrando em que muda a religião os problemas aparecem, mesmo que de outra forma.

    – Sim conheço alguns evangélicos éticos com trabalho exemplar e que tive excelente debate sobre contexto bíblico. E são pessoas ponderadas que sabem que tem hora e lugar pra se pregar e não em transporte público e trabalho.

    Aqui no Brasil estes “n” ateus se resumem mais a postar vlogzinhos no Youtube e ameaçar os cristãos de morte (e o Dr. Pirrola falando que ocorre o contrário, hah!). Eu não tenho nenhum problema em achar que a religião amaina a mente das pessoas, a ajuda pelo simples fato dela ser uma nova criatura; e ela pode exercer a bondade a partir daí. Ou temos aqui um roussouniano, que diz que “o ser humano é bom por natureza, é o mundo que o corrompe”? Por favor, né?

    – Merda dita por Ateu sempre vai existir na mesma proporção que merda ditas por Cristãos. Ou você acha que tudo que o Nando Moura diz é o certo é a perfeição? Por isso que tomo cuidado com Vlogs dessa gente. Se eles dizem uma coisa que eu concordo não vou ter medo de dizer, só porque não concordo com o cara e não gosto dele não significa que invalida tudo o que ele disser. Ideias tem que ser separadas das pessoas. Cheguei a uma maturidade intelectual para fazer isso. Agora ninguém é proibido de chegar e criar um canal de youtube pra postar coisas úteis e inúteis, isso é a liberdade de expressão. Ainda mais quando se toca em temas que as pessoas não tem coragem de falar como religião e dogmas. E você não pode crucificar os Ateístas por causa desses caras, primeiro: não pedia para eles me representarem e minha vertente é totalmente outra, minha busca foi outra. E tenho muitos conhecidos que pensam dessa mesma forma. Talvez por conhecer poucos Ateus você fale isso.

  9. Anonimo disse:

    Na verdade, foi a sociedade que se adequou ao Cristianismo, sendo a religião quem a cunhou. E concordo que não tem mais a mesma influência de antes, estão trocando pela influência marxista, a mesma que ajudou a forjar estes “movimentos sociais”.

    – Na verdade foi o oposto? Esqueceu da Inquisição? As pessoas se diziam cristãos e muitas não questionavam ou não se atreviam a questionar. Com o tempo a sociedade se moldou independente da religião. Tanto que dentro do cunho religioso da ICAR houve a divisão por Lutero e Calvino cada um com sua vertente cristã. A religião teve somente poder durante um tempo, mas não significa necessariamente que forjou tudo porque outros países e outras civilizações como os orientais tiveram bases que não eram cristãs.

  10. Anonimo disse:

    Não disse que não exista, e não haverá respeito a todas as crenças. Pergunta isso prum muçulmano e ele vai rir da sua cara. Agora, caindo pras religiões com base em Cristo, todas elas despejam alguma alfinetada aos demais.

    -Esse é o fato: ninguém respeita, mas aprende a tolerar. O problema é que casos de intolerâncias podem se tornar recorrentes. Vias de pensamento com intolerância são perigosas porque elas podem evoluir pra agressões físicas dependendo da mente da pessoa. Por isso que há agressões dos devotos neopentecostais mais humildes contra de outras religiões. É um discurso de ódio quer queira quer não: isso me lembrou uns escritos num muro da ferrovia daqui da baixada dizendo “Respeite meu axé que eu respeito tua fé”. É de fato um conflito religioso, mesmo que de menor proporção.

    Quanto aos desvios, seria ótimo se simplesmente acabassem com a Universal, a Mundial, mas isso nunca vai acontecer. Aquela catedral que montaram no bairro do Brás não tava irregular e mesmo assim não mantiveram ela lá?

    – Cara é aquela: não da pra vencer isso de uma hora pra outra. Se todos se unissem contra esses absurdos, ficaria tudo mais fácil. Mas preferem atacar as diferenças alheias.

  11. Anonimo disse:

    Bom, pra alguns, “assédio religioso” envolve também a imagem do Cristo pregada numa repartição pública. Intolerância vai existir pelo simples fato de que o ser humano é naturalmente averso ao diferente, o que não quer dizer que seja certo. E reitero, a intolerância do Cristianismo é diferente a do Islamismo, estão em graus diferentes.

    – Cara isso pra mim já não é, porque imagem pode não representar nada pra mim e é irrelevante eu implicar com uma coisa que não tem valor pra mim. Estão em graus diferentes, mas pode evoluir para um grau perigoso como a inquisição como citei anteriormente. Não tenho como defender o lado Cristão nesse ponto e eu sei que o Islamismo é pior. Mas eu desejo uma sociedade mais neutra possível.

    Ouvi falar sobre essa perda de fiéis sobre a Teoria da Prosperidade, inclusive, isso ainda vem acontecendo. Depois o Catolicismo reagiu com padres-cantores, como o Marcelo Rossi, que fez grande sucesso no fim dos anos 90, e agora ainda tem o Padre Fábio de Melo e o Reginaldo Manzotti. Os evangélicos da TP são bem mais intolerantes que os decanos, são até mais intolerantes a qualquer um que os questione: qualquer coisa eles dizem que você “tá com o diabo”.

    – Aí que está: existe esse tipo de pensamento ruim, que deveria ser substituído por um pensamento melhor. Enfim…

    Estas duas igrejas citadas são da Teoria da Prosperidade, e ao meu ver, sua tia não está interessada em Deus. Senão, nem estaria nestas igrejas, ela já incorporou o interesse financeiro dos dirigentes destas EMPRESAS.

    – Como disse a fé é uma mera mercadoria, mas esse lance vem até perdendo um pouco da força tanto que o Edir Macedo investe para a IURD em outras formas de ganhar dinheiro como terapia de casais por programas dentro da Record e até dentro de seus templos. Eles vivem de uma certa auto ajuda. Até em outros países onde a IURD atua ela não atua da mesma forma que aqui, ela trabalha mais no nível auto ajuda mais ou menos a forma como o Renato e a Cristiane (filha dele) faz com os programas Love School e os livros da série Casamento Blindado.

  12. Anonimo disse:

    Como disse, são casos isolados. O que a maioria das vertentes do Protestantismo faz é falar mal, mas não dedicam-se tanto a isso como, por exemplo, o sub-gênero neopentecostal. Na prática o “ódio” não passa de apenas pena, do tipo “espero que você aceite Jesus um dia”, insuficiente pra encher uma matéria e estampar uma com o nome EXTREMISMO EVANGÉLICO. E do jeito que nós latinos, somos, sempre haverá estas alfinetadas: somos emocionais e nos incomodamos facilmente.
    Uma outra coisa é que estas igrejas neo-pentecostais geram muito dinheiro, inclusive por meios escusos, fora que boa parte da população não se sente mesmo incomodada com eles.

    – Simplesmente porque não desenvolvem senso crítico. Afinal, fazendo tudo em nome de Deus tá tudo certo nê? Por isso que sempre aparecem casos negativos em nome da religião. A pessoa pode se tornar melhor sem ter religião, a religião até pode ajudar, mas ela pode não servir pra nada ou até desencadear algo pior.

    E nesse de falar mal pode gerar casos extremistas sim. Por mais que você queira negar, rola. É tímido, mas o problema é se intensificar.

  13. Anonimo disse:

    A sociedade nunca se tornará neutra porque somos emocionais. E “inquisição” do século XXI teria por parte do Islã, inclusive está tendo, em proporções menores. Só ver o que o ISIS está fazendo…

    – Sim, claro. É um mal maior que deve ser combatido sim.

    A IURD também faz um trabalho social, mas é coisa pequena perante os rios de grana que eles ganham em cultos e vigílias que lotam um Maracanã.

    – É aquela: precisam fazer essas práticas pra disfarçar.

  14. Anonimo disse:

    Wellington tinha problemas psicológicos, logo, nada mais previsível que apoiar uma causa extremista, disposta a punir gente que não pensa como ele e a exorcizar demônios passados. Já viu a casa dele?

    – Mas ele procurou a religião tanto que uma de suas comunidades do Orkut era entendendo a Bíblia sagrada.

    Se ele tinha problemas psicológicos, por que Deus não o curou disto?

  15. Anonimo disse:

    Não, não está. Tanto que, como disse várias vezes, outras denominações acham errado as práticas das igrejas neo-pentecostais, especialmente da Universal. A pessoa pode se tornar pela religião sim… ou não. Em muitos casos a religião estanca a natureza da pessoa. Por exemplo, lembro de um sujeito evangélico mas com passado violento, é um tipo ignorante mesmo. Se ele não fosse evangélico, ele poderia facilmente exercer sua violência em outrem.

    – Não necessariamente é a religião que faz isso, existem outros meios e formas. A Religião pode ser um dos meios para isto, mas no caso do Wellington foi como energia que engatilhou aquela tragédia. Religião não define nada, a pessoa que se conscientiza em melhorar.

    Extremismo evangélico não enche páginas de revista, e nem se intensificaria mesmo se fosse permitido. Uns ou outros podem achar que seria certo forçar o pessoal a seguir suas crenças, mas de novo… poucas representações, casos isolados.

    – Mas acontece e sem controle pode se intensificar e se tornar um problema. Diminuir um problema em favor de outro não é a solução. Ideias ruins devem ser combatidas com ideias melhores.

  16. Anonimo disse:

    Olha, não duvido que realmente a cúpula da Universal queira ajudar os outros, não obstante todos os erros.

    – Querer ajudar os outros esperando algo em troca você quer dizer? Isso vai contra os princípios religiosos.

  17. Anonimo. disse:

    No caso do ignorante, foi a religião. E como não define nada, se várias pessoas se tornam melhores justamente por ela? O cara deixa de ser alguém ruim por causa dela, já vi vários casos disso – e sou um sujeito que conhece cadeias e albergues, conheço algumas denominações, então tenho um pouco de vivência na causa. A pessoa pode até querer mudar por si mesma, mas a religião ajuda.

    – É aquele dilema “todo mundo se diz religioso, todo mundo se diz arrependido”. No final muitos acabam no mesmo erro. E se você fizer uma pesquisa a maioria diz que acredita em Deus e tem religião. A humanidade era pra ser um paraíso e você sabe que não é.

    -Religião não adianta nada sem ação.

    -Assim como você eu tenho vivência, convivi com vários tipos de religiosos minha vida toda e eu digo que desses poucos realmente eu considero como que tentam seguir os preceitos da maneira melhor possível.

    Tanto é “sem controle” que há poucos casos.

    -Mesmo assim, eles acontecem e não devem ser ignorados ou ser feito de pouco caso. E sim combatido.

  18. Anonimo. disse:

    Sim, mas quem é atendido por eles não é obrigado a dar oferta nem nada. Pode tentar ser persuadido, mas cai quem quer.

    – Eu tenho uma conhecida que mora na Catedral Mundial da Fé em Del Castilho eles chegam a assediar de todas as formas as pessoas inclusive ela presenciou lá dentro uma fiel que só tinha o dinheiro da passagem no bolso e um obreiro convenceu ela de dar esse único dinheiro. A meu ver isso aí é criminoso, mas quem se importa não é mesmo?

  19. Anonimo disse:

    Sim, eles fazem isso, não mais que isso. A retórica de dar tudo pra ser abençoado é de livre conhecimento de qualquer um que ouviu falar na Universal. Mas eles não metem uma arma na cabeça dos outros; ser persuadido, se deixar ser persuadido, não é crime.

    – Claro que não é, mas as pessoas deveriam conscientizar as outras de que isso não deveria ser feito, mas como ninguém faz nada mesmo.

    Não creio que a maioria brasileira se diria religiosa, mas se diria crente em Deus, com certeza. A humanidade deixou o direito de ser paraíso a partir do momento em que Adão e Eva pecaram.

    – As pessoas se dizem sim, ainda mais quando se trata do meio Evangélico por uma certa ignorância. Até porque tem até traficantes evangélicos expulsando Umbandistas:

    http://oglobo.globo.com/rio/crime-preconceito-maes-filhos-de-santo-sao-expulsos-de-favelas-por-traficantes-evangelicos-9868841

    -Claro que você vai vendar os olhos pra isso e dizer que é caso isolado, mas acontece. Mesmo sendo caso isolado é um problema que tem chance de se intensificar.

    Teve vivência mesmo? Se teve realmente, não estaria fazendo estes questionamentos pra mim, cara.

    – Você que defende a religião. Eu sou simplesmente imparcial.

    E eu não disse que os casos não acontecem e não devem ser ignorados. Acho que estamos nos repetindo…

    – Da forma como você diz é como se isso não fosse nada porque vem do que você acredita. Eu não me prendo a crença ou descrença: até porque conheci Ateus que não prestam assim como religiosos, mas estes até entendo. Agora religiosos é no mínimo contraditório.

  20. Anonimo disse:

    Depender do cidadão comum, isso não vai mudar mesmo.
    Como “se dizem”? Tem alguma prova relacionada?

    – Basta observar, como disse eu vi vários casos de gente que se diz religioso. Crente até o Diabo é. Eu não ponho a mão no fogo sem uma prova de extrema confiança e honestidade e que poucos seres humanos são confiáveis.

    Porque até mesmo o brasileiro médio sabe que ser religioso é diferente de falar que tem religião. E traficante não é evangélico, senão não seria traficante. É a mesma coisa de dizer que existe Miss Bumbum evangélica.

    – Então você não conhece o ser humano que molda a religião pra conveniência que quer. Assim como os seguidores do Bola de Neve que você citou. Oras os Islãmicos acham justificativa para todas as suas atrocidades por conta do livro religioso deles e eu vejo “Evangélicos” (entre parênteses mesmo, porque todas as religiões Cristãs seguem o Evangelho) fazendo o mesmo. É um perigo se se expandir esse tipo de pensamento? Sim.

    E eu não vendo os olhos pra nada. Não defendo religião alguma, apenas sei que não é tudo oito e oitenta. Não força a barra.

    – Da forma como você faz pouco caso dizendo que são casos isolados os absurdos cometidos pelos Cristão dá a entender que você quer aliviar a barra deles. O que pode ser compreensível, mas não significa aprovável. O certo é o certo mesmo se ninguém fizer e o errado é o errado mesmo se todo mundo fizer.

    – Eu sei que não são todos, mas por desatenção de muitos seguidores eles mancham o Cristianismo. Infelizmente quer queira ou não.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s