“Pop In Rio”? Foda-se.

Perda de tempo reclamar da quantidade de escolhas “pop” no Rock In Rio, “Pop In Rio”, sabe-se lá. Os Medina só querem dinheiro, e deixaram claro esse desejo desde 2001, quando aproveitaram o boom pop, especialmente promovido pelas Boy Bands, e chamou de Britney Spears até o grupo britânico Five (ou 5ive). Creio que até as edições gringas do RiR, só por Continuar lendo

Anúncios

Debate Tico vs Márvio Lúcio (Carioca)

cida pereiraA Folha de São Paulo, jornal de orientação política liberal e parte da chamada Grande Mídia (os demais são o também jornal O Estado de São Paulo, O Globo, Rede Globo, revista Veja, Época, IstoÉ e etc) resolve fazer um debate, há menos de meio mês da posse oficial de Michel Temer na Presidência da República, após o tão aguardado afastamento da Dilma Rousseff. Provando que a publicação persiste contra os interesses da população Continuar lendo

Cristiano Araújo merecia tudo isso?

aHR0cDovL2RpYXJpb21zLmNvbS5ici93cC1jb250ZW50L3VwbG9hZHMvMjAxNC8xMS9DcmlzdGlhbm8tQXJhJTI1QzMlMjVCQWpvLnBuZw==

Mais um fruto da penca de “cantores” de sertanejo universitário, uma das mais fáceis formas de ganhar dinheiro sem, segundo a ética “normal” da sociedade, denegrir a própria dignidade. Coisa pro sujeito ficar rico rapidamente emplacando versões de hits estrangeiros, arrebanha multidões de fãs – com mulheres dos mais variados tipos e sabores -, lota estádios. Pros que estão de fora e têm um mínimo de coerência, tratam-se dos mais atuais cancros musicais da cena brasileira. Daí, claro, a comoção geral pela morte de um destes “heróis”, mas a ganância é tanta a ponto de espremer até o talo, e além disto, o caso Cristiano Araújo?

Continuar lendo

Madrid – a evolução dos ex-besteirol

O Cansei de Ser Sexy durou mais tempo do que pensamos, isso é um fato. Outro fato foi que, outrora considerada uma banda “inovadora” (por quem? Deve ser por mim mesmo) na época em que se abriu pro mundo, 2005 a 2008, no fim das contas tornou-se mais um arremedo de banda indie solidificada. “A magia acabou”, como diziam uns palhações na comudade da banda no Orkut. Lembrando que eu fui um destes palhações, mas CARÊNCIA é algo foda e você acaba se debruçando tanto no objeto de desejo que acaba perdendo o senso de ridículo. Ao menos deu pra conhecer e se deparar com algumas coisas. O público do Cansei de Ser Sexy exatamente resume-se àquela juventude Vila Madalena pra caralho com uma carga intensa de pedantismo, lembrando que eu não me excluí disso, especialmente nos períodos em que freqüentei o mesmo saco que eles. Porém, de minha parte não há qualquer ressentimento, até porque tratei de causar todas as flechas que foram fincadas em mim, então tá tudo certo, né não?

Continuar lendo

Como perdi o Blonde Redhead

O Blonde Readhead é uma coisa esquisita, como se podia esperar deles.
A banda nova-iorquina, composta por ex-estudantes de arte (encabeçada pela japonesa Kazu Makino, também tendo os gêmeos Simone e Amedeo Pace, respectivamente vocal e guitarra, bateria, guitarra e vocal) tá há anos na estrada e nunca fez sucesso como Sonic Youth (este “padrinho” da banda) e outros grupos célebres do ramo. É banda para poucos, no sentido exato de “ame ou odeie”, ou “dê uma foda ou não”, e isso se reflete bem no naipe dos caras. Como um site disse aí há uns 5 ou 6 anos atrás, não ter a intenção de ganhar grana e divertir alguém estão na pauta do Blonde Redhead.

Continuar lendo